Publicações

Sonho, estetização e política em Walter Benjamin

Ao buscar uma delimitação sobre a contribuição da filosofia ao debate sobre a relação entre arte e política, nosso foco será a capacidade perceptiva politicamente relacionada à crítica do embelezamento. Nossa chave de leitura remete aos conceitos de estetização da política e de kitsch onírico (Traumkitsch) de acordo com Walter Benjamin. Teremos em vista, de um lado, a relação entre percepção e mundo das coisas; e, de outro, a camada kitsch que reside nos objetos no interior do lar, como lugar de refúgio da subjetividade, apartado da esfera pública. De um lado a impossibilidade de imaginar a“flor azul no mundo da tecnologia”; de outro, “a flor azul que se tornou cinza ”. Em ambos os casos, o que se quer belo, transforma-se em aparência edulcorada. Restam às coisas revelar a inversão entre percepção e mundo, de forma a liberar um significado político que transite do inconsciente para o consciente – do sonho ao despertar. Do sonho coletivo desperto, ou da percepção estética à sonolência do consumo, existe uma dialética do despertar, reveladora de instâncias políticas. Clique aqui